Get Up Stand Up

0
618

 

O Stand Up Paddle virou febre no Brasil e no mundo. Também conhecido como SUP, o stand up  teve origem no Havaí, na década de 1940, na praia de Waikiki.  Os beach boys, professores de surf da região usavam pranchas de madeira e remos para acompanhar seus alunos de perto. Mas nessa época, o stand up não passava de uma ferramenta de trabalho, e tinha  utilidade apenas até o fim do expediente.

No começo do ano 2000, ainda no Hawaii o SUP surpreendeu com a explosão de adeptos, as praias eram freqüentadas por um grupo de havaianos com suas pranchas, usando-as para fazer travessias e dropar ondas.

Enquanto isso no Brasil, os adeptos já começavam a se interessar mais pelo esporte e se inteirar sobre a prática.

A cada dia cresce o número de praticantes, o sup conta com duas modalidades principais: A prática de descer ondas (surf), em que são usadas pranchas menores (9,2) e a travessia ou remada em rios, lagos e até no mar, em que as pranchas costumam ser bem maiores e estáveis, pela longa distância (12,6).

As pranchas são feitas de EPS revestidas com fibra de vidro e resina epóxi. Os remos por sua vez podem ser de diversos materiais, de alumínio com a pá de plástico ou fibra de vidro, madeira, ou fibra de carbono.

Recém lançadas no mercado Brasileiro existem também as pranchas de sup infláveis, que são fáceis de carregar e geralmente são usadas em corredeiras para a prática do rafting.

Além das diversas modalidades já existentes, o stand up é usado como instrumento para alguns projetos ecológicos, que saem para travessia fazendo ecofaxina.

Em algumas praias do Brasil, já vemos os guarda-vidas com a prancha de sup como instrumento de trabalho. Recentemente ainda, aconteceu nas praias do litoral paulista alguns sup carnavais, que são bloquinhos de carnaval que saem para um a travessia com a sua prancha, seu remo, e claro sua fantasia!  E pode acreditar, até os casamentos e aulas de yoga em cima da prancha de sup tem aumentado a cada ano.

Potira Rolan, 29 anos moradora do Rio Tavares em Florianópolis pratica o esporte à pouco mais de um ano, mais sempre surfou de pranchinha, o que deu uma boa base, “ O sup é um esporte que necessita muito equilíbrio e concentração, e acho que isso de certa forma refletiu um pouco na minha vida pessoal “ Diz Potira.

Para quem está começando no esporte agora, é importante algumas dicas:

– A prancha deve ser maior, para garantir estabilidade.

– No começo é importante conhecer o lugar que está remando, conhecer profundidade e correnteza e procurar sempre remar acompanhado.

– Na hora de escolher o remo, opte por um mais leve.

– Sempre fique atento a postura correta.

– Reme em dias de pouco vento.

“Incentivo todos a praticar o SUP porque é um exercício muito completo. Ele trabalha o corpo e mente juntos e é acessível a qualquer um, mesmo que a pessoa não surfe vai poder se divertir muito. Mas temos que saber também respeitar os limites de segurança, remar em locais seguros, ou com pessoas mais experientes por perto para que seja sempre divertido.” Completa Potira.

A adaptação pelo esporte se dá naturalmente, ao ponto que você sinta a prancha uma extensão do seu próprio corpo, não é um esporte de força e sim de jeito.

Canyon do Xingó, Sertão Nordestino.

O stand up paddle rende além de uma ótima atividade física como lazer, um abdômen definido, pernas firmes, braços fortes e mente equilibrada.

Descobrir e desvendar lugares e paisagens exuberantes, como costeiras e fendas também é outro bom motivo para começar a prática.

Boa remada!!!

Por Fê Dellomo