Entrevista exclusiva com a banda Alma D’jem sobre o seu retorno!!

0
458

image

Depois de quase cinco anos afastada dos palcos, a banda Alma D’Jem retorna, trazendo consigo a mistura do reggae raiz underground, com batidas de dub e letras inspiradas.

A banda brasiliense fundada em 1997 pelo atual vocalista e compositor Marcelo Mira, já conquistou três discos gravados (Grito de Liberdade em 2000, Alma D’Jem em 2004 e Simples Assim de 2007), com mais de 30.000 cópias vendidas só com o primeiro álbum e mais de 12 anos de experiência na bagagem. Com Pit de Souza no baixo, Juá Gomes na Guitarra, Naná Aragão na bateria e Pedro Montagnana no headline dos teclados, o Alma D´Jem retornou com a sintonia afinada para transmitir as boas vibrações de sua música ao público.

Em uma entrevista exclusiva para a Girls on Board, Mira fala sobre o porquê do recesso da banda, o seu retorno, projetos, planos para 2014, novas músicas, parcerias e um monte de outras coisas que está todo mundo louco para saber. Confere aí!

Como aconteceu essa pausa do Alma D’Jem? Quando pararam, pensavam em voltar ou era algo definitivo?

Marcelo Mira – Quando a gente interrompeu os trabalhos já estávamos aí com doze anos de estrada, já tínhamos três CDs gravados e eu achei que era o momento de repensar, reformular, para, caso voltássemos, essa volta ser num caminho mais afinado, mais em sintonia. Era um tempo que eu também precisava para sentir como é ser artista solo, experiência que eu estou trazendo hoje para o grupo e que é muito importante para o desenvolvimento da banda. Mas o retorno sempre esteve em aberto.

E por que voltar em 2013?
Mira – Eu senti que era um bom momento. Achei que o pop, o reggae e o rock estavam criando um cenário muito bacana, com grandes bandas retornando e gravando, então recrutei novos músicos para voltar com o Alma.

image

E com esse novo time, o público pode esperar mudanças ou o Alma volta com a mesma roupagem de antes?

Mira– Nos shows, por enquanto, temos tocado as músicas que fizeram parte dos três discos anteriores, mas já estamos em fase de composição e, naturalmente, cada músico que entrou trouxe suas características, deu seu sotaque, contribuiu para construir a essência do o Alma D’Jem de hoje. Eles têm a liberdade de trazer sua bagagem musical, seu conhecimento, suas influências, mas sempre seguindo a linha da banda, que é a linha do reggae.

O Alma D’jem retornou com novos integrantes, novo gás e novos projetos. E a agenda de vocês, como está?

Mira – Está cheia, está muito bacana. Vamos dar uma pausinha agora na copa, aproveitar para fazer algumas gravações, por que tem música nova vindo aí!  Lançaremos agora um single de um show que fizemos em Vitória-ES com a participação do Alexandre, do Natiruts. Gravamos uma música chamada “Divide”, que gostamos muito. Depois da copa, nós provavelmente lançaremos um música nova com um parceiro que está fazendo grande sucesso, o Ivo Mozart. Ele fez uma música linda para gravarmos juntos. E estamos com várias outras novidades e, se Deus quiser, ainda esse ano, vamos gravar o primeiro DVD da banda.

image

Os fãs podem esperar surpresas nessa nova fase do Alma ?

Mira- Com certeza, estamos bem acelerados, a sintonia da banda está maravilhosa, está todo mundo com muita vontade de criar, de trazer uma nova sonoridade para o Alma D’Jem em 2014. Temos pesquisado bastante para trazer modernidade ao som, para agradar não só quem já era fã da banda, mas também uma molecada que está chegando agora e que está ávida por música de qualidade, boas letras, boas melodias. Estamos trabalhando bastante, então a galera pode esperar grandes novidades por aí!

Uma curiosidade: qual é a maior diferença que vocês sentem ao tocar em um festival de música e em um show solo do Alma?

Mira- Um festival é uma oportunidade que temos para mesclar o público, porque não é um público que veio para ver só o Alma. É uma oportunidade de tocar para outras tribos que vieram ver outras bandas. Quando o show é nosso a galera está ali para curtir o nosso som. Então, são duas energias diferentes, mas ambas muito boas.

image

E agora, a pergunta final: O Alma D’Jem voltou para ficar?

O Alma voltou para ficar! E vamos voltar a escrever nossa história no reggae brasileiro!

Por Bruna Gonçalles

Fotos: Bruna Gonçalles